Hidroquinona: heroína ou vilã?

Hidroquinona: heroína ou vilã?

Baseado em 1 avaliações
  • 70 Alunos matriculados
  • 08 Minutos de duração
  • 1 Aulas
  • 1 Módulos
Acesso Gratuito
Acessar Dê um passo adiante em sua carreira!
"Muito bom!"
Palestrante:
mais avaliações

A hidroquinona é um composto aromático fenólico, com potente ação despigmentante por inibir a enzima tirosinase envolvida na síntese da melanina a partir do aminoácido tirosina. É disponível no Brasil em concentrações de 2 % em cosméticos e 4% em medicamentos tópicos. Existem eventos adversos agudos (dermatite irritativa ou alérgica) e crônicos (ocronose e despigmentação em confete, com concentrações altas, > 5%). Usada há mais de 50 anos, ainda é o tratamento de escolha, mais eficaz e muito estudado para o tratamento do melasma, isolada ou em combinações duplas e triplas (estas constituem a 1ª. linha) = HEROÍNA. Estudos comparativos recentes não demonstraram superioridade de novas opções de despigmentantes, como thiamidol e cisteamina. É banida = VILÃ em alguns países pelos riscos verificados em estudos antigos, com o uso oral, apenas em ratos, nunca comprovados em humanos, tais como: carcinogênese, nefrotoxicidade, mielotoxicidade, etc.

2 anos Sem tempo para fazer o curso agora? Não tem problema.
Você poderá participar desse curso até 2 anos após a matrícula.

Cassiano D, Esposito ACC, Hassun K, Bagatin E, Lima MMDA, Lima EVA, Miot LDB, Miot HAInt J Dermatol 2020; 59(12):1531-6

Cestari T, et al. J Drugs Dermatol 2007; 6:153-60

Cestari TF, Hassun K, Sittart A, Viegas ML. J Cosmet Dermat 2007; 6 (1):36-9

Draelos, et al. Cutis 2010; 86:153-8

Draelos. Dermatol Ther 2007; 20:308-13

Jutley GS, et al. J Am Acad Dermatol 2014 ;70(2):369-73

Kligman AM. Arch Dermatol 1975; 111:40-8

Lau SS. Chem Biol Interact. 2010; 184(1-2): 212-7

Leandra d’Orsi Metsavaht. Surg Cosmet Dermatol 2017; 9(3):202-3

Lima PB, Dais JAF, Cassiano DP, Esposito ACC, Miot LDB, Bagatin E, Miot HA. J Eur Dermatol Venereol 2021. https://doi.org/10.1111/jdv.17344 

McGregor D. Crit Rev Toxicol. 2007;37(10):887-914

McKesey J. Am J Clin Dermatol 2020; 21(2):173-225

Nordlund JJ. J Pigment Dis 2015; 2(11) DOI: 10.4172/2376-0427.1000221

Oliver E. Arch Dermatol Syphilol 1940, 42:993-1007

Rajaratnam R, et al. Cochrane Database Syst Rev 2010 Jul 7;(7):CD003583

Rivas S, Pandya AG.  Am J Clin Dermatol 2013;14(5):359-76

Saade DS. Int J Environ Res Public Health. 2021; 18(11): 5650

Spencer MC. Arch Dermatol 1961; 84:131-4

Zolghadri S. J Enzyme Inhib Med Chem 2019; 34(1): 279–309

Coordenadores: Dra Flavia Ravelli e Dr. Elimar Gomes
""


Palestrante: Edileia Bagatin
""


Profa. Dra. Ediléia Bagatin - Dermatologista pela SBD

Profa. Associada e Livre Docente - Departamento de Dermatologia – EPM/UNIFESP

Orientadora em Programas de Pós-Graduação sensu stricto: Medicina Translacional / UNIFESP e Dermatologia / FMUSP

Supervisora da Pós-Graduação sensu lato do Departamento de Dermatologia / UNIFESP

Membro relator e vice-coordenadora do Comitê de Ética em Pesquisa / UNIFESP 

Membro da Comissão Científica e Coordenadora do Departamento de Cosmiatria da SBD - 2021

Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/6478900066830476

Honorários ou aulas Patrocinadas: LeoPharma; Natura; Douglas Pharmaceuticals; USK

Consultoria ou advisory board: LeoPharma; Natura; Douglas Pharmaceuticals; USK

Pesquisa: LeoPharma; Galderma; Pierre Fabre Dermo-Cosmétique; Gelita; Allergan / Abbvie

Viagens, acomodações e despesas: LeoPharma

Outros:


Conteúdo Programático

  • 1. Hidroquinona: heroína ou vilã? - Dra. Edileia Bagatin
Voltar ao topo